A intenção foi boa, é verdade, mas o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), pode ter ajudado a piorar o panorama da Covid-19 no estado ao anunciar novas medidas, na sexta-feira (19).

Entre as novas determinações, está a antecipação do feriado da Adesão do Maranhão à Independência – que seria em 28 de julho – para o dia 26 de março.

Com isso, o comércio já não abrirá nesse dia. Além disso, nos dias 27 e 28 de março, atividades não essenciais também devem permanecer fechadas (saiba mais).

Ou seja: Dino criou, na próxima semana, um feriadão que vai de sexta a domingo.

É muito pouco provável que os maranhenses apenas fiquem em casa nesses dias. E uma “descida” em massa deve ocorrer para cidades como Barreirinhas, Santo Amaro e Morros, por exemplo.

Com as já tradicionais aglomerações…

Caso parecido

Em São Paulo ocorreu algo parecido e governador do Estado, João Doria (PSDB), acabou criticando o prefeito Bruno Covas por antecipar cinco feriados municipais.

O tucano afirmou que a medida gerou mal-estar com prefeitos de cidades do litoral paulista e classificou como falta de bom senso da gestão municipal.

“As prefeituras têm autonomia para suas decisões, e nós reconhecemos isso. Mas há certas decisões que o bom senso recomenda que sejam compartilhadas previamente com o governo dado ao fato de que a decisão de uma cidade muitas vezes implica em impacto nas cidades vizinhas. Faltou aí um pouco de bom senso da Prefeitura de São Paulo em fazer esse compartilhamento prévio para evitar exatamente o mal-estar que acabou provocando”, disse o governador.

Fonte: Gilberto Leda